domingo, 20 de maio de 2012

Relevo de Rondônia

Quando falamos em relevo, pensamos em montanhas, serras, planaltos, planícies, depressões, etc.
Observe os mapas a seguir:



Observando o mapa, percebemos que nosso estado apresenta baixas altitudes, isto é, alturas acima do nível do mar.
         Quase dois terços do estado se situam entre 90 e 300 m de altitude.
         Porto Velho, a margem direita do Rio Madeira, por exemplo, encontra-se na altitude de 85 m.
        Costuma-se dividir o relevo de Rondônia em quatro porções distintas:
  • Planície Amazônica
  • Encosta ou Vertente Setentrional do Planalto Brasileiro
  • Chapada dos Parecis - Pacaás Novos
  • Vale do Guaporé - Mamoré.
Planície Amazônica
      A planície do estado de Rondônia é o prolongamento da vasta Planície amazônica. Estende-se desde os limites com o estado do Amazonas até atingir, no sentido sudoeste, a Chapada dos Parecis-Pacaás Novos e a Encosta Setentrional do Planalto Brasileiro.
      Sua altitude média oscila entre 90 a 200  acima do nível do mar.
      A planície é composta de solos sedimentares, areno-argilosos, sendo de depósitos recentes nas várzeas (áreas mais baixas).
      No médio curso do Rio Madeira e nos baixos cursos de seus afluentes (margem direita), extensas áreas de planície estão sujeitas a inundações.
Cachoeira de Teotônio no Rio Madeira
       Os barrancos dos rios, de 5 a 10 m de altura, de solo argilo-ferruginoso, sofrem infiltrações das águas e desbarrancamentos.. Esse fenômeno recebe o nome de terras caídas que o rio vai desmanchando e transportando.
      Nos terrenos antigos (Pré-Cambrianos), o curso médio dos rios encontra, a certa profundidade, o substrato rochoso, dando origem às corredeiras e cachoeiras.
      Caracteriza-se como extensão final, no sentido sul norte, do Planalto Brasileiro.
      A superfície dessa faixa de terrenos muito antigos (Arqueano) sofreu aplainamento devido as sucessivas fases de erosão, apresentando patamares que variam de 100 a 600 metros de altitude. Os acidentes mais comuns são colinas,pontões, matações, morros isolados, etc.

ENCOSTA SETENTRIONAL DO PLANALTO BRASILEIRO
Vista parcial da Chapada dos Pacaás Novos
         Este acidente do relevo é uma área de terreno arqueano (período pré-cambiano), constituído por restos de uma superfície de aplainamento rebaixada pelas  sucessivas fases erosivas, subdivindo-se em patamares de altitudes que variam de 100 a mais de 500 metros acima do nível do mar, formando cristas residuais esparsas, colinas de topos plainados, colinas com inselbergs, pontões, morros isolados e esporões de cristas agudas. Afloramentos de granotos, lateritos e matações de tamanhos variados.
         As suas superfícies plainadas são revestidas por rochas sedimentares (pleistocenas) e depósitos de sedimentos resultantes da erosão ocasionada por violentas enxurradas ocorridas em períodos remotos, em decorrência do clima mais seco e pela falta de cobertura florestal.
         Esta porção do relevo responsável pela origem das várias corredeiras, lajeados e cachoeiras dos rios Madeira, Abunã, Jaci-Paraná e de outros rios. Do baixo rio Madeira, a partir da cachoeira de Santo Antônio na direção norte submerge sob os terrenos sedimentares da planície Amazônica, aflorando no médio curso do rio Jí-Paraná, originando corredeiras e cachoeiras como as de Dois de Novembro, São Vicente, Quatro de Março, São Francisco, Tabajara e do Quatá. Estende-se na direção sul até atingir as encostas das chapadas dos Parecis e Pacaás Novos. Na linha de limites entre o Estado de Rondônia e o Estado de Mato Grosso, forma as serras São João, Machado e das Onças (ou Grande), divisoras de águas entre as bacias dos rios Ji-Paraná e Roosevelt. Afloramentos seus surgem na margem esquerda do rio Madeira e Noroeste e Oeste, formando a serra Três Irmãos na faixa de fronteira Rondônia com o Estado do Amazonas. Essa serra é divisora de águas entre as baixas dos rios Ituxi e Abunã e Madeira.
         A Encosta Setentrional é limitada ao Norte pela Planície Amazônica; a Noroeste e Nordeste pela linha de fronteira entre o Estado do Amazonas e o Estado de Rondônia; ao Leste, Sudeste e Sul pelas chapadas dos Parecis e Pacaás Novos e ao Oeste a linha de fronteira entre Rondônia e o Estado do Acre e entre Rondônia e a República da Bolívia.

Chapada dos Parecis - Pacaás Novos
      Como prolongamento do Planalto Brasileiro em nosso estado no sentido sudeste-noroeste, as Chapadas dos Parecis e dos Pacaás Novos representam as maiores altitudes de nosso estado, que variam de 600 a 900 metros.
         Há pontos culminantes com mais de 1.000 metros. Assim, temos o Pico do Tracuá ou Pico Jaru com 1.126 metros na Chapada dos Pacaás Novos.
Pico do Tracuá - 1.126 m

      Os terrenos são sedimentares de arenito vermelho e amarelo com cimento feldspático e silício, predominando as pederneiras (pedras muito duras).
      As Chapadas recebem nomes locais de serras, que são divisores de águas. Como por exemplo:

  • Serras de São Francisco (divisora de águas entre os rios Candeias e Jamari); 
  • Serras Novas, das Queimadas, do Repouso, da Pedra Branca e Uacampânico (divisoras de águas entre os rios Jarú e Machadinho e entre o Jamari e Machadinho);
  •  Serras da Vitória, Sete de Setembro, Mirante e Trincheira (divisoras de águas entre os rios Ricardo Franco e Pimenta Bueno), estas citadas serras, situam-se na região central do Estado. 
  • Serras Gabriel Antunes e João Antunes (divisoras de águas entre os rios Corumbiara e Cabixi), localizam-se na região sul do Estado; 
  • Serras da Divisa e Pagã (divisoras de águas entre os rios Ji-Paraná e o Preto); 
  • Serras Aurora, Providência e Sargento Paixão (divisoras de águas entre os rios Roosevelt e Ji-Paraná), localizam-se na região central até a Oeste no vale do rio Mamoré, próxima a cidade de Guajará-Mirim, (divisora de águas entre os rios Pacaás Novos e Mutum Paraná).    

Observação:
A Chapada dos Parecis rondoniana é o prolongamento noroeste da chapada de mesmo nome no estado do Mato Grosso. Observe a em um mapa físico do Brasil.

Vale dos Rios Guaporé e Mamoré
       É uma vasta planície tabular formada de sedimentos recentes.
       Com altitudes que variam de 100 a 300 metros acima do nível do mar, apresenta terrenos alagadiços e platôs mais elevados.
      No estado de Rondônia, estende-se do sopé das chapadas dos Pacaás novos e dos Parecis a leste até a margem direita dos rios Mamoré e Guaporé. Em sentido sul-sudeste, avança desde o norte até a divisa com Mato Grosso, no qual se prolonga.
      As áreas mais baixas sofrem inundações de dezenas de quilômetros na época das enchentes, formando lagos temporários, de difícil escoamento.
Leia mais:
http://www.geocities.ws/rondonianaweb/aspectos_gerais.htm


(PROEJA - Geografia - Mód V - pág. 8)
(Imagens da web)
Atividades:
1. O que você entende por relevo de um país?
2. Quanto ao relevo, qual a característica geral de nosso estado?
3. Qual a divisão tradicional do relevo rondoniano?


4. No que diz respeito ao relevo de Rondônia, pode-se afirmar que é pouco acidentado. Porém, existem áreas com altitudes que chegam a alcançar mais de 800 m, como na Serra dos Pacaás Novos. A área mais acidentada do relevo de RO., na qual se situa a serra mencionada, localiza-se, predominantemente, em que porção do estado?
a) (  ) Norte
b) (  ) Nordeste
c) (  ) Noroeste
d) (  ) Sul

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...