segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Criação do Território do Guaporé - Aluizio Azevedo


A criação do Território Federal do Guaporé, em 1943, e de mais quatro territórios: Iguaçu e Ponta-Porã, no Sul e Centro-Oeste; Rio Branco e Amapá, no Norte, representam uma das principais metas do governo de Getúlio Vargas. Este estadista pretendia incentivar a ocupação nas terras da Amazônia, desenvolver o comércio e firmar a política nacionalista, base do seu governo. Uma ação que se tornaria possível com a assinatura do Tratado de Washington entre o Brasil e o Estados Unidos, durante a 2ª Guerra Mundial, que daria início a segunda fase do ciclo da borracha propiciando o desenvolvimento econômico e populacional da Amazônia rondoniense.
A Sociedade Geográfica, 10 anos antes, havia sido incumbida pelo presidente Getúlio Vargas de viabilizar o estudo para a construção de 10 territórios federais. No entanto, o estudo não incluía o município de Porto Velho, somente Santo Antônio e Guajará-Mirim fariam parte do território. A interferência do militar e desbravador Aluízio Ferreira, durante este mesmo período, foi fundamental para a concretização do ambicioso projeto de Getúlio. Aluízio aproveita a visita de Getúlio Vargas a região, em 1940, e mostra as potencialidades econômicas de Porto Velho e a sua importância na formação do futuro Território. Ocupando o cargo de delegado do Governo Federal no Alto Madeira, o então capitão Aluízio Ferreira fez uma conferência, em 6 de março de 1936, na Sociedade dos Amigos de Alberto Torres, no Rio de Janeiro, enfatizando a necessidade da redivisão política do País e descrevendo os problemas enfrentados nos municípios em virtude da ausência política administrativa dos governos estaduais que impediam o progresso destas regiões.

 
A Estrada de Ferro Madeira-Mamoré é 
mãe do Território Federal do Guaporé. 
Os outros territórios federais entraram de carona” – Aluízio  Ferreira.


Esta foi apenas uma das diversas ações desenvolvidas por Aluízio Ferreira para concretizar a instalação do Território Federal do Guaporé. Seu trabalho foi reconhecido até mesmo por Getúlio Vargas que o nomeou governador do Guaporé, após sua instalação. Além da política, uma grande amizade fortalecia o trabalho desenvolvido por estes dois estadistas. O jornalista João Tavares, no livro Porto Velho Conta sua História – coletânea de autores regionais – cita que Getúlio Vargas se referia ao Território do Guaporé da seguinte forma: “O Guaporé do Aluízio”. Um reconhecimento público dos trabalhos do militar para a concretização deste que foi o pioneiro dos demais territórios federais do Brasil.
Aluízio, desde 1936, realizava reuniões políticas e de divulgação para a criação do Guaporé. Ele havia promovido também visitas de chefes militares a região e enviara ao presidente, um pedido de desmembramento dos municípios de Guaporé e Guajará-Mirim dos estados do Mato Grosso e Amazonas. O pedido era reforçado por assinaturas de moradores de Guajará-Mirim recolhidas pelo diretor da Concessionária da Empresa de Navegação do Guaporé. Paulo Cordeiro da Cruz, que destacava o desprezo dos governadores dos dois Estados pelos municípios de Guajará-Mirim, Santo Antônio do Madeira e Porto Velho.

Getúlio visita o Guaporé

Aluízio Ferreira aproveita uma visita de Getúlio Vargas a Manaus, em 1940, para convidá-lo a conhecer Porto Velho. Uma breve visita de apenas três horas que resultaram em três dias de permanência do Presidente da República na região. Uma ocasião histórica que marcou antecipadamente a vitória do major Aluízio na implantação do Território Federal do Guaporé.
Getúlio Vargas em pronunciamento a população de Porto Velho em 10.10.40
Foto

Quando Getúlio chega em Porto Velho é recepcionado na avenida 7 de Setembro com desfiles de estudantes e tropas militares. No final da solenidade, onde estiveram reunidos centenas de moradores dos municípios vizinhos, crianças abraçam o presidente que emocionado diz: “Isto aqui já é um Território!”
Na ocasião, Getúlio Vargas inaugura a usina termoelétrica da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré e o prédio dos Correios e telégrafos em Porto Velho. Aluízio e Getúlio descobririam nesses três dias, diversas idéias em comum. O presidente reafirmaria a Aluízio sua intenção de criar territórios federais nas áreas fronteiriças, uma intenção que seria concretizada três anos depois de sua vinda a região. O major Aluízio aproveita a presença do estadista para convencê-lo a incluir o município de Porto Velho no projeto, como capital do futuro território. Uma vontade política que foi realizada anos depois.
Finalmente é criado o Território Federal do Guaporé pelo decreto-lei nº. 5.812, de 13 de setembro de 1943, das áreas desmembradas dos estados de Mato Grosso e do Amazonas. Mais quatro municípios brasileiros pegam carona e são também transformados em territórios: Rio Branco e Amapá – no norte, Ponta-Porã e Iguaçu – no Sul e Centro Oeste do País.

Leia mais:
http://alekspalitot.blogspot.com/2012/02/o-territorio-federal-do-guapore.html
http://www.gentedeopiniao.com.br/lerConteudo.php?news=49896

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...